quinta-feira, 13 de setembro de 2007

“Eu procuro um amor...

...que ainda não encontrei
Diferente de todos que amei...”
Mas eu estou começando a pensar que isso não existe. Depois que você sofre a pior desilusão da sua vida, acho que é inevitável pensar assim.
Tudo começou com... (iishiii... senta que lá vem a história... foi mal, mas isso é realmente um desabafo). Tudo começou com um beijo. Um beijo inocente, de despedida no fim do dia, e teria sido um beijo comum se não fosse em um lugar incomum. Foi um beijo no canto esquerdo da minha boca. E esse beijo não foi nada na hora, a não ser um “Oooowww” quando cheguei em casa. Eu pensei que ia ser só isso. Mas não foi. Uma conversa, muitos olhares e abraços carinhosos depois e pronto! Selinho numa tarde de domingo.
Mas olha só! Internet domingo à noite. Eba eba, Orkut! Ohh, ele é amigo da minha amiga. Oops! Ai não, ai não, ai não!!! Namorando! NÃÃÃÃÃOOOOO...
No dia seguinte nós conversamos de novo. Afinal, tínhamos que esclarecer o selinho na tarde de domingo. Então eu disse que sabia. Eu disse, não ele. Será que ele ia dizer? Isso eu não sei. Mas ele disse que estavam brigados. E eu estou envergonhada em dizer que eu gostei de ouvir isso.
Enfim, beijão de despedida. Nossa como ele beija bem! Ele pediu meu telefone. Os dois dias que se seguiram: beijo, beijo, beijo, conversa, muita conversa. Parecia que não tinha nada que a gente não pudesse dizer um ao outro. A gente realmente se dava muito bem.
Eh! Mas ele tinha que falar com ela. E falou. E voltou. E é o fim! Ou não...
Ele: Você é tão doce, linda, alegre, legal, simpática, divertida, carinhosa...
A gente decidiu ser amigo então. Numa boa. E eu pensei que estava tudo bem. Mas não estava.
Beijo numa tarde de domingo...
Ele: Eu não sei... não me senti culpado por trair ela... Eu quase fiz antes, mas não consegui fazer... com você é diferente... estou confuso...
E não é que eu caí!? E eu me apaixonei por ele. Me deixei iludir. Na minha cabecinha oca eu acreditava que podia fazer ele se apaixonar por mim. Bobona, bobona, bobona!
Cometi um erro. Eu acreditei. Pra mim, ele só precisava de tempo.
Ele: É tão bom estar com você... eu sempre sonho com você...
Me ligava quase sempre, só pra dizer boa noite.
Ele: Porque eu pensei em você o fim de semana todo quando eu devia pensar nela? Porque eu só queria te ligar, queria te ver? Porque eu sinto um frio na barriga quando te vejo?
Eu: Não sei... você é que tem que saber.
E me dizendo isso, ele me deu mais esperança. Mas ele nunca soube o porquê.
Um dia ele disse que tudo ia mudar e que não era promessa de político. Porém, nunca se esforçou pra cumpri-la. E dizia que estava trabalhando e que por isso não podia me ver. Quando, na verdade, ia vê-la.
Foi só nesse momento (nossa, como eu sou lerda!!) que eu percebi que ele nunca gostou de mim. Ele nunca ia largar ela, mas não por amor. Sim, pois se ele realmente a amasse, nem passaria pela cabeça dele traí-la. Ele não termina com ela por covardia e por conveniência, já que as famílias se conhecem e tudo mais. Se diz tão aventureiro, mas tem medo de mudanças. É acomodado. Ou muito mentiroso. E não gosta de ser questionado.
Eu: Você não gosta de mim de verdade, nunca gostou...
Ele: É isso que você acha? Desde o começo?
Interrupção de terceiros...
Pronto! Ele vai embora e quando me vê de novo finge que nada aconteceu e que nós sempre fomos amigos. E ontem, quando eu quis conversar, parecia que ele nem sabia o assunto.
Droga!! Eu chorei de novo. Eu nunca chorei tanto por alguém, e pior, por alguém que não merece, que não se importa. Alguém aí já chorou enquanto anda de bike? É a pior coisa do mundo. Eu não conseguia nem respirar direito. Parecia até que estava com crise de asma. E quase fui atropelada umas vezes. Bobona, bobona, bobona...
E pra piorar quando eu fico triste meu cabelo fica horrível...
Mas não vai acontecer de novo! Vou fazer o possível e o impossível pra não me apaixonar! Nem que me apareça o Príncipe William... se bem que ele nem tá tão bonito assim... Humm...
Nem pelo Viggo Mortensen, ahh não, ele é muito velho... Deixa eu ver...Nem pelo Mr. Darcy, tá ele é um personagem, mas é uma graça.... assim como o Michael Moscovitz... ai ai...
Ma s eu vou superar sim sim... e tudo vai ficar bem...ou não...
Tudo TEM que ficar bem... não há outra alternativa...

3 comentários:

Mokitty disse...

Sim, eu serei a primeira a comentar no blog de minha gentil princesa... Oba!

Parabens! Você foi muito corajosa em desabafar tudo isso, eu admiro a sua força. Espero que tenha feito bem para você.
Saiba, sim, você deve saber, que eu abracei sua confissão com carinho, preocupada com as asas quebradas, com as delicadezas...

Acho que todos nós sabemos o que é ser apaixonado mas enganado por alguém. Pelo menos, eu experimentei um pouquinho disso, mas incompáravel com sua dor.
Não se critique mais por esse erro, tenho certeza que você cresceu muito mais por aprender com ele!
Tudo vai ficar bem, pode ter certeza e contar com meu apoio!
Mesmo que você precise, ou não, chorar por causa desse bandoleiro, saiba que sua leal dama de companhia estará com você para te ajudar!
Beijos, Cleidy!

Rodney Hanter Porlok disse...

AHHHHHH CLEIDIIIIIIIIII!!!!!!!!!!!!
Como eu queria poder ter feito alguma coisa, falado alguma coisa... sei lá, batido nesse desgraçado ¬¬.
É, eu sabia, até mesmo antes da bandeira que vocês deram no estacionamento aquele dia...
Mas não podia interferir em algo como o amor... apesar de você sempre me chamar pra 'dar uma volta' eu não tenho essa habilidade com os outros, e acho que foi melhor você aprender sozinha. Afinal se algum dia alguém já entendeu o coração que atire o primeiro Titanic.
Eu realmente fiquei triste por você, a algum tempo já que vejo você assim, pra baixo, e puxa, você não merece isso. Tanto talento, tanta alegria, você tem tanto pra viver.
Mas acho que o desabafo ajudou enfim.
E ai, ai, ai... quase é atropela por chorar em cima da bicicleta? Ai, ai, ai... eu falo pra você tomar cuidaaaaaaaadoooo... menina, menina... quando for assim para no parque, senta no banquinho e chora vendo a paisagem, pelo menos é bonita. ^^
Eu tenho uma certa pedra no peito, mas se chorasse com freqüência assim concerteza iria escolher lugares tranqüilos e pacíficos.. ^^
Vamo lá, emprego novo, vida nova, cabeça pra frente, peito estufado, pé no pedal e manda bala na estrada da vida...
Boa sorte Cleidiane, e que as coisas sejam mais justas com você.
Byebye...

Everson Santos disse...

FORÇA Cleidiane!!!!

Eu tenho certeza que você não perdeu ele..... e sim foi ele que te perdeu!!!

Há momentos em nossas vidas que ficamos perguntando "por quê? por quê? por quê?" mas substitua isso pelo "para que..." pois só assim saberemos no final o motivo de tudo isso!!!

Então sorria, seja feliz, agradeça por tudo que você tem e pela sua personalidade carismatica, pois acredito em VOCÊ!!!

bjus e se precisar tamos ae!!!!

Everson